Fantasmas exorcizados


O Dallas Mavericks se sagrou campeão da NBA pela primeira vez na sua história na noite desse domingo. Exorcizou os fantasmas do passado, calou a boca de seus críticos e consagrou Dirk Nowitzki como um dos grandes da história.

Um título merecido. Como bem disse Mark Cuban, dono da franquia, o Dallas sempre foi considerado candidato a eliminação nos playoffs. E foi aos poucos provando, talvez muito mais a si mesmos, que são um grande time.

Um título mais do que merecido

Assisti ao jogo 6 pelo Terra. O Dallas dominou a partida exceto por 2 momentos ainda no primeiro tempo. Depois valeu muito mais o controle mental e o conjunto muito mais equilibrado tecnicamente do que o Miami. Enquanto Jason Terry, um coadjuvante de luxo destruia o sistema defensivo do Miami, Chris Bosh e especialmente LeBron James sumiam gradativamente do jogo.

Erik Spoelstra falou antes do começo do último quarto que o time precisava ter controle mental para tirar a vantagem do Dallas. Mas foram apenas palavras. O Miami não chegou a ameaçar em nenhum momento e, ao contrário do conselho de Spoelstra, se perdeu ainda mais enquanto o jogo se aproximava do fim. Se perderam na marcação, se perderam no ataque. Pareciam um bando de baratas tontas em quadra. Foi deplorável.

Não foi nem de longe o Miami Heat das vitórias sobre o Boston e Chicago. Muita gente pode questionar a sua presença na final. Eu não. São momentos diferentes. Quando a responsabilidade e a pressão aumentaram, o Miami se perdeu. E seus principais jogadores sozinhos não foram capazes de levar o resto do time nas costas.

A série toda foi espetacular. O Miami perdeu muitas vezes por relaxamento, como no jogo 2, que entrará para a história. Mas a verdade é que por trás de tudo está o fraco conjunto da equipe de South Beach. Tire seus 3 principais jogadores e o que sobra? Um ajuntado. Não se ganha nada com ajuntados.

O próprio Dallas é um exemplo disso. Tantos anos batendo na trave, sendo eliminado quando todos esperavam que ele vencesse com facilidade, mas mantiveram sua principal estrela e procuraram contratar jogadores para ajudá-lo, não para competir com ele. Dirk Nowitzki é a estrela da franquia e ninguém questiona. Mas Jason Kidd, Jason Terry, Tyson Chandler, DeShawn Stvenson, JJ Barea são bons jogadores que também podem desequilibrar em uma partida. Dirk não está sozinho e tem companheiros que sabem do seu papel no time.

Parabéns ao Dallas Mavericks. Um grande time com um jogador já está sem sombra de dúvidas entre os maiores da história. Uma franquia que ressurgiu do nada para se tornar campeã da NBA com todo merecimento. Uma equipe que prova a todos que a lealdade, as vezes, recompensa. E parabéns a Dirk Nowitzki, MVP das Finais.

—————————————————

What Should I do?

Vou falar de LeBron James num post separado. Mas confesso que entendo perfeitamente a alegria do dono do Cleveland Cavaliers e de seus torcedores com a perda do título. LeBron refugou mais uma vez no jogo final.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s