Band


Bom, lá vamos nós.

Tenho que acrescentar que estou meio sem tempo para atualizar o  blog diariamente. Peço desculpas aos meus milhões de leitores….😀

No penúltimo episódio da série esculachando as emissoras brasileiras, falarei da Band.

Se bem que nem mesmo a Band dá muitos motivos pra que se fale dela. A inércia da emissora assusta. Mas a capacidade de sempre tranformar qualquer coisa em algo relacionado com o Corinthians é notável. Se bem que a RedeTV está seguindo o mesmo caminho, abre o olho Band!

Bom, vamos aos fatos. A Band transmite o Brasileirão, como “parceira” da Globo. Também tem a Fórmula Indy, a Fórmula Truck, liga dos Campeões, alguns torneios das seleções de base do Brasil, algum torneio de futebol feminino e mais alguma coisa que devo ter esquecido.

É uma variedade não muito grande, convenhamos. Para a emissora que se nomeava “O canal do Esporte” na década de 90, transmitir automobilismo e futebol é muito pouco.

E aliás, o desrespeito com o telespectador é cativante. O fã de automobilismo que tenta assistir as 500 Milhas de Indianapolis, a cereja do bolo da Fórmula Indy, deve procurar outro canal para acompanhar a corrida. Notadamente conhecida por ser uma corrida longa, longuíssima, a Band simplesmente ignora o evento quando começa o futebol. A transmissão é cortada sumariamente, passam a mostrar pedacinhos picados da corrida e nem mesmo um acidente catastrófico na chegada da corrida é capaz de fazê-la desistir do jogo do Corinthians. Aqui.

A Fórmula Truck, pra quem gosta de corridas, é até legal. Teo “não perde mais” José é um excelente narrador de automobilismo em geral. As transmissões são boas e, diferente do que a Globo parece querer fazer com a Stock Car, são mostradas ao vivo.

O problema da Band é a sua própria raiz. Não creio que ninguém na emissora consiga enxergar muito além das cercanias do Morumbi. O bairrismo é muito mais descabido e escancarado do que em qualquer outra emissora. E o pior, mesmo sendo bairrista com os clubes paulistas, o Corinthianismo da emissora afugenta até mesmo os torcedores de Palmeiras, São Paulo e Santos. Pra ser sincero, olhando os números da audiência, até mesmo os corinthianos devem ser afugentados com tantas notícias do “Timão”.

Será que ninguém por lá percebeu que a audiência deles não evoluiu?

O Jogo Aberto é um programa maçante, chato. Longo demais, reportagens repetitivas, os mesmos comentaristas todos os dias falando muitas vezes sobre os mesmos assuntos….

E finalmente chegando na parte “qualidade”: o padrão Band é baixo, muito baixo. Neto não merece comentários. Para “incrementar” a lista temos Edmundo e Denílson, dois exemplares ex-jogadores. Denílson então, é um sério candidato a pior ex-jogador comentarista da história.

Quanto aos narradores, Luciano do Valle parece que não consegue mais narrar um jogo sem falar toneladas de baboseiras. Frequentemente ele erra o nome dos jogadores, dos times, do estádio….Mas o nome de seus patrocinadores ele nunca esquece. Nunca. Futebol feminino na Band é para promover os patrocinadores do Luciano. Sei da história do cara, que ele é um narrador com inúmeras Copas do Mundo nas costas, respeitado, mas convenhamos, todos devemos saber a hora de parar, não?

Nivaldo Prieto tá no limbo. Não é excelente e não é ruim. Passa. Teo José é excelente no automobilismo e tem evoluído no futebol. Só precisa parar com a mania de ficar na Wikipedia durante os jogos.

E a Band tem alguns “convidados” as vezes, o qual destaco Mauro Betting, que chega a irritar pelo tanto que o cara entende de futebol. Parece que ele devorou uma enciclopédia! Ele se salva no mar de mediocridade da Band.

Os repórteres são um caso a parte. São o espelho dos comentaristas e, creio, diretores da emissora. Tem rabo preso com inúmeros jogadores, o que os impede de fazer uma reportagem sem pagar pau pra alguém. Especialmente se jogar no Corinthians ou for algum queridinho de outro grande. O que tem de jogador supervalorizado por alguns repórteres da emissora, chega a assustar!

O programa semanal da emissora é bem fraquinho. Aliás, com o advento da internet todos esses programas perderam muito da sua “exclusividade”. Vide Esporte Espetacular. Fica muito repetitivo para quem acompanha as notícias pela internet ou mesmo os programas durante a semana. Tem muito pouca informação que realmente prenda o telespectador. O reflexo é o IBOPE.

E pra fechar, não podia deixar de falar dele. Milton Neves. Ou Merchan Neves, como é mais apropriado. O Terceiro Tempo ficou insuportável, tem mais propagandas que notícias, gols, qualquer outra coisa. Ainda tem alguém que assiste aquele programa?

Enfim, a Band conseguiu destruir sua reputação de “canal dos esportes” numa rapidez impressionante. Na tentativa de buscar audiência, reconhecimento, qualquer coisa, acabaram se perdendo num bairrismo desmedido e desnecessário, que a faz ser assistida quase que exclusivamente em São Paulo. Parece que o tiro saiu pela culatra. E fez estrago.

One thought on “Band

  1. putz, acabei te “copiando”. Mas foi casualidade, juro🙂
    Mas como eu também falei, a Band tropeça nas próprias pernas e NUNCA sai do lugar. 1 ano atrás pretendia tirar o 3º lugar do SBT. Hoje a gente vê a média dia e ela não avançou nada. Culpa DELA mesma. Erra tanto que os poucos espectadores são heróis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s